Amazonas Manaus

Bomba | “A casa caiu” – Nomes ligados ao senador Omar Aziz devem deixar o governo Wilson Lima na reforma administrativa em agosto, Confira

Manaus AM, 19 de Julho 2019

O Governador do Amazonas Wilson Lima planeja realizar uma reforma administrativa estadual no mês de agosto deste ano. O modelo adotado será ligado a resultados, estabelecendo metas a serem cumpridas pelo secretariado.

Além disso, o governador também destacou a participação de representantes da sociedade civil organizada, incluindo lideranças empresariais, e com o Legislativo, para a formação da reforma nas reuniões.

Vale ressaltar que o Governador do Amazonas planeja a extinção de 20 secretarias com o intuito de reduzir os gastos e ampliar a qualidade de trabalho, reorganizando a estrutura governamental para consertar o rombo financeiro deixado pelas gestões anteriores.

Principais Mudanças

∙ Transformação da Comissão Geral de Licitação (CGL) no Centro de Serviços Compartilhados (CSC), absorvendo as competências da Central de Compras Governamentais (CCGOV);

∙ Criação da Unidade de Gestão Integrada (UGI), subordinada ao governador do Estado, Wilson Lima, com suporte operacional da Casa Civil, tendo como mandatário o vice-governador Carlos Almeida;

∙ Incorporação das competências da Secretaria de Estado da Região Metropolitana (SRMM), Secretaria de Estado de Política Fundiária (SPF) na Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) passando a ser Secretaria de Estado de Infraestrutura e Cidades (Seic);

∙ Secretaria de Estado de Administração e Gestão (Sead), Secretaria de Estado do Trabalho (Setrab) e a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino (Seduc) devem ter alterações no nome e competências.

Operação Vertex

Na manhã desta sexta-feira (19) foi deflagrada a quinta fase da Operação Maus Caminhos, nomeada de Operação Vertex, onde investiga a prática de crimes de corrupção passiva, lavagem de capitais e pertinência a organização criminosa.

A pedido do Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas e da Polícia Federal, a Justiça Federal determinou a realização de prisões e de buscas no Amazonas, Brasília e São Paulo. A ex-primeira-dama do Amazonas e esposa do senador e ex-governador, Omar Aziz, Nejmi Aziz foi presa temporariamente durante essa operação.

Ao todo, são cumpridos 09 mandados de prisão temporária, 15 mandados de busca e apreensão, 18 mandados de bloqueios de contas de pessoas físicas e jurídicas (aproximadamente 92,5 milhões de reais), 07 mandados de sequestro de bens móveis e imóveis.

A investigação é motivada por indícios detectados de recebimentos de vantagens indevidas por um ex-governador, que por exercer o cargo de senador, poderia ter direito a foro por privilegiado no STF.

Sendo de entendimento de “vantagens indevidas”, a entrega de dinheiro em espécie e também através de negociações superfaturadas e/ou simuladas com o intuito de ocultar a entrega de dinheiro dissimulado por meio de contratos de aluguel, compra e venda.

A investigação da Operação Vertex está ligada diretamente com as outras fases da Operação Maus Caminhos: Operação Custo Político, Operação Estado de Emergência e Operação Cashback.

Reforma Administrativa vs Operação Vertex

A partir disso os nomes ligados ao senador Omar Aziz que estão atualmente em cargos no Governo Wilson Lima já devem ser  exonerados de suas funções, sendo eles:

∙ A Roselene Medeiros, presidente da Amazonastur;

∙ Mário Aufiero, diretor-presidente da Imprensa Oficial do Amazonas (Impeam).

∙ Lucia Carla Gama, chefe de gabinete do Governador.

∙ Márcio André Oliveira Brito, diretor-presidente Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Amazonas (Ipem-AM).

∙ Delegado Sandro Sarkis, secretário de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SEAI).

Foto: Reprodução.

Redação por Isso é Amazonas.

Parceiros